Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]





Não se cale!

por Mary P., em 25.11.13

Que dia é hoje? Sim, estou a ficar mesmo chata, hoje é dia 25 de novembro. Já escrevi hoje que falta precisamente um mês para o natal e mimimimi e mimimimi. No entanto, não se trata só disso. Hoje, dia 25 de Novembro é o Dia Internacional Contra a Violência Doméstica. Trata-se apenas de um marco, sim. Quantas e quantas mulheres estão neste momento de coração apertado, sem saber o que fazer - se deixam tudo e fogem para os antípodas ou então, se vão na cantiga das bestas que têm lá casa e se deixam ficar pondo-se a jeito. Este é um tema muito delicado, não o quero levar de todo para a ligeireza. Neste tipo de situações tendo a ser prática. Procuro fazer com que as pessoas (comecei por falar nas mulheres, mas muitos homens também são vítimas) busquem o amor-próprio, a sua dignidade. A solução não passa por se esforçar em esconder os factos e evidências, mas sim por procurar ajuda, não ter medo, não mostrar medo. 

 

Porque cada um de nós que veio ao mundo tem o direito e o dever se ser feliz!

 

Associação do Apoio à Vítima - 707 20 00 77

 

Porque o primeiro passo é partilhar com alguém que nos pode ajudar ;)

 

(Aqui a Mary fica feliz se pelo menos uma pessoa ganhou alento para dar o primeiro passo para reverter a situação!)

Autoria e outros dados (tags, etc)


countdown to...

por Mary P., em 25.11.13

Não posso de maneira nenhuma deixar passar este dia em branco, meus caros. Bem à mania da Mary (esta Mary), de juntar o que acredito da parte religiosa com a parte científica: há 2013 anos a Maria carregava no seu ventre um Menino cheio de significados. Quantas vezes pensamos nisto? Eu cá acho fantástico! Esse Menino deu e ainda dá muito que falar, nós é que por vezes não Lhe damos o devido respeito. Nāo me cabe a mim julgar ninguém, mas será que toda a gente se lembra o porquê de fazerem ponte no dia 24 e do dia 25 de Dezembro ser feriado? Tudo bem que nem todos são Católicos, ok. Respeito. Mas àqueles que acham que esta festividade se devem ao Pai Natal, aqui vai o meu sinal de reprovação. E acho que este é um dos mal da sociedade dos dias de hoje - vive-se o dia, compram-se os melhores enfeites, esmera-se na decoração, escolhem-se os melhores convites, mas depois ... Vazio no conteúdo!

 

Portanto, àqueles que acreditam que o Natal é só mais um dia de juntar a família toca a dar um toquezinho lúdico ao serão, contar uma histórinha, partilhar uma laracha. Aos que não dão valor, porque não dar o benefício da dúvida? Votos de um excelente gozo do tempo natalício!

 

E viva às luzes de natal, viva às ruas iluminadas, viva às lareiras, viva ao bolo-rei e às filhozes, viva aos circos, viva às músicas natalícias, viva aos anúncios interminåveis da tv, viva ao ferrero rocher, viva ao calor humano, viva viva viva !!

 

Aleluia Aleluia

 

Mary P.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Filmes da minha vida #1

por Mary P., em 24.11.13

Porque hoje foi um solarengo domingo de Inverno (é verdade, recuso-me a obedecer às regras do novo Acordo Ortográfico) e porque um domingo, seja em que altura do ano for, pede sofá, manta, televisão e chá (não, não se trata de um cliché, mas sim do meu domingo de sonho) aqui vai uma série de filmes que me dizem muito, que tornam um domingo nhaq num domingo wow. Aquele domingo que eu imagino quando estou sentada na secretária de caneta em punho, livros abertos, folhas espalhadas e de óculos postos (ai faculdade a quanto obrigas!). O que realmente importa é que esta é mais uma inauguração num dia de tanta inauguração! Apesar de jovem e de parte (só parte!) das minhas costelas pertencerem ao outro território da Península Ibérica, sou muito saudosa, o que faz de mim muito portuguesa. Verdade? E como escolhi um nome de um célebre filme, que teve origem numa série de contos (aos livros irei noutros tempos) decidi partilhar alguns dos filmes que me tocam.

 

 

O Rei Leão, The Lion King. A primeira cassete que recebi. A primeira vez que chorei ao ver um filme e que me apercebi que afinal os pais nem sempre morrem quando são velhinhos e têm cabelos brancos/jubas menos exibicionistas. Conceito de família, de comunidade, amor, muito amor, companheirismo, banda sonora espectacular. Muito, muito, muito bonito. 

 

Hércules, o primeiro filme que fui ver ao cinema - o já inexistente cinema do Bom Sucesso - como o tempo passa (não, não tenho 80 anos, mas sou muito dada ao saudosismo, é um facto). Claro que tinha que estar aqui! Músicas que perduram anos e anos. Muito bom!

 

Ainda durante a adolescência... Lembro-me que o primeiro livro - Harry Potter e a Pedra Filosofal - foi prenda de anos, à qual não achei piada nenhuma. Depois de alguma insistência de um amigo do colégio para ler, "é espectacular, Mary! Aprendes a fazer feitiços e eles andam numa escola super fixe!" comecei a ler e depois nunca mais parei. Fiquei completamente viciada e ficava sempre desejosa que viesse o próximo. Recordo-me de verter umas lagrimitas depois da morte do Sirius e do Albus Dombledore e também de ter tecido umas quantas palavras menos agradáveis para o Snape (mais tarde, obviamente que tive que dobrar a língua! Nem tudo o que parece é, Mary!) Lembro-me de rir feita tolinha com o Ron e as suas Ronices,... Grande saga! Parabéns J.K.! Só podiam ter sido os bons ares do Porto para te inspirar a escrever grande obra!

 

Tropa de Elite! Lembro-me tão bem de quando vi este filme! Foi num domingo daqueles super desinteressantes e que estava sozinha com a minha mãe. O meu pai tinha deixado este DVD em cima da mesa, pois tinha sido emprestado por um amigo que tinha dito que valia muito a pena. E como não estava a dar nada de jeito na tv àquela hora (para variar) decidimos ver. Estivemos quase, quase a desistir da ideia. Nossa que violência! Perdido por cem, perdido por mil. Tanto movimento, tanto disparo, tanta gritaria, tanto palavrão, era da maneira que não adormecíamos! Provocou em nós desconforto, mexeu com o nosso interior. Ouvimos falar algumas vezes sobre as favelas nos telejornais, mas com este filme tivemos a oportunidade de entrar nelas, de nos sentirmos seus moradores, de vivenciarmos o aperto de que é ser familiar de alguém que arrisca todos os dias a vida por alguém que não conhecemos. Foi desconcertante, foi um abanão, foi bom.

 

The Ring I, o primeiro filme de terror que vi tinha praí 12 anos! Estive uma boa quantidade de tempo relutante em atender telefonemas, algo que a minha mãe não percebeu e que o meu pai se ria à gargalhada!

 

Para a minha irmã, My Sister's Keeper. Outro daqueles que nos relembram que nem tudo o que parece é! Muito, muito bom!

 

Gato preto gato branco. Epa tão bom!! Emir Kusturika está aqui <3 Porque 1/6 de mim é gipsy e pronto!

 

O Silêncio dos Inocentes, The Silences of Lambs. Anthony Hopkins?! Menos 30 anos e já marchavas! Adoro todo o seu misteriosismo e o seu Aniball Lecter ... desconcertante. Claps também para a Jodie Foster, que no meu ponto de vista esteve muito bem.

 

Richard Gere, outro sonho de homem! Pretty Woman, Sonho de Mulher. Tão, tão perfeito! A Julia Roberts é um mulherão e o Richard ... ai o Edward Lewis!! Meninas, quem é que nunca sonhou com um Richard/Edward só para si?

 

 

O Menino do Pijama às Riscas e a Vida é Bela, mais dois filmes que me tocam muito, muito, muito. Lembro-me de chorar baba e ranho. Dois murros no estômago. Três meninos excepcionais, um pai nota 20, condições completamente desumanas. Mais dois verdadeiros abanões.

 

The Constant Gardner, o Fiel Jardineiro. Outro! Ralph Fienes! Não, não pensem que faço questão de ver os filmes apenas pelas figuras que lhe dão vida. Não é de todo verdade, mas a uma boa história está sempre associado uma bela estampa. E esta? Malditas indústrias farmacêuticas que ganham milhões e brincam com todos nós, mas como se trata dos medicamentos (os comprimidos que nos deixam ficar na Terra mais algum tempo) muitos de nós fecham os olhos... Um amor daqueles!

 

Into the Wild, Christopher McCandless aka Alex Supertramp. Quantas já vezes já me/nos passou pela marmita despegar-me(nos) de tudo e viajar só comigo/connosco própria(os) e descobrir o mundo? És grande Alex!

 

Já num registo mais ligeiro, mas com seriedade na mesma, até porque se trata num dos meus sonhos, Pirata das Caraíbas - Por Estranhas Marés (Pirates of the Caribbean - On Stranger Tides)! Ai ai ai Johny (o meu fetiche, o meu sonho de homem), oitocentos e noventa e dois ai ai ais para o Captain Jack Sparrow! Obviamente que não perdi a oportunidade de o ver em 3 dimensões. Inesquecível! 

Agora que penso ... que mistura explosiva e curiosa seria a da mágica Mary Poppins com o único Captain Jack Sparrow! ui ui

 

E por fim, o filme dos meus filmes, aquele que já perdi a quantidade de vezes que o vi e que me emociono sempre (o Titanic de muitas boas almas), uma das figuras que idolatro e que só podia ser representada por quem é, a história que mexe comigo - que me faz querer ser mais e melhor, que me faz querer sentir e fazer por ser especial, que me faz querer marcar a diferença e provoca em mim a vontade de contagiar tudo e todos.

Patch Adams! 

 

Viva às pipocas, aos ombros amigos e às almofadas!

Autoria e outros dados (tags, etc)


adenda

por Mary P., em 24.11.13

 ah! e esta sou eu. Pleasure

Autoria e outros dados (tags, etc)


Inauguração

por Mary P., em 24.11.13

Chovam cardos, chovam prosas, que aqui a Mary Poppins já tem um espaço na blogosfera!
Não se trata nem de longe nem de perto do começo que tinha idealizado, mas a excitação é tanta que tinha que escrever alguma coisa ainda hoje. Isto dos blogs, das definições, das formatações,... é uma coisa muito complicada para quem, como eu, apenas se dedica ao word, ppt e facebook. Acredito que mais tarde ou mais cedo vou conseguir criar o conceito que tenho idealizado na minha mente.

Como vinte mil quatrocentos e cinquenta e três blogers não acredito muito que vou conseguir reunir uma série de seguidores certinhos e desejosos por ver se a Mary já fez um post novo. Neste momento, meus caros, não estou nem aí! O que eu quero mesmo é satisfazer esta minha vontade de escrever, de partilhar, de rir, chorar, conspirar, fofocar, perguntar, responder com seja quem for.  

Supercalifragilisticexpialidocious, ahn? Super original e nada complicado, verdade? Certo, é que, curiosamente, nunca vi o filme da ama cheia de poderes mágicos e munida de um guarda-chuva único, a Mary Poppins. No entanto, esta palavra acompanha-me desde que nasci. Confesso que ainda hoje sou incapaz de a pronunciar sem parecer uma menina que está a frequentar a 1ª classe. Talvez um dia, quando for super conhecida e tiver cem mil setecentos e novento e dois seguidores, me lembre de criar um post a convidar os leitores a enviar vídeos e criar uma competição cujo vencedor será quem conseguir pronunciar mais rápido e correctamente esta expressão, que segundo o Oxford Dictionary significa algo extraordinariamente bom, maravilhoso. Portanto, aqui vai o meu sincero desejo e compromentimento de fazer com que esta página faça jus ao seu nome.

 

Beijinhos e abracinhos, 

 

Mary P.

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D