Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




humanidade. lol

por Mary P., em 04.05.15

Ponto de partida:

18292853_e3s3m.jpeg

 

Esta capa que tanta comichão prurido provocou em muito boa gente. Primeiro porque era uma fotografia sensasional, depois porque tinha acoplada a si uma constatação daquelas de abanar e deixar-nos de consciência atormentada. Horas mais tarde já não era uma capa assim tão óptima-relatadora-da-realidade-da-humanidade, uma vez que se tratava de um copy past de uma capa de um jornal estrangeiro. Sim, porque uma vez que a fotografia já tinha sido tirada há uns anos (o que agrava a situação, não?), uma vez que já tinha sido usado como capa perdeu todo o seu valor. Já não é assim tão tchan. Deixa-me pensar o que é que vou fazer para o jantar, porque isso sim, é que me está a atormentar. 

E assim desvalorizou-se uma das melhores capas de jornais que já vi em quase 22 anos de existência.

Este ponto de partida leva-me para o foco da questão: QUE HUMANIDADE É ESTA A NOSSA? QUE IGNORA, EMPURRA, DESPACHA E SACODE OS HOMENS, AS MULHERES E AS CRIANÇAS DE UM LADO PARA O OUTRO? E sim. Estou a falar directamente para os excelentíssimos senhores da União Europeia, que no meio dos seus ordenados chorudos e subsídios impensáveis fazem os possíveis por varrer o pó para debaixo do tapete e sorrir para o mundo dizendo que a Europa, nomeadamente, a União Europeia é uma casa para o mundo.

Hoje li esta notícia:

Sem Título1.png

 

É-me impossível imaginar, quantificar sequer (!) o desespero que não terá tido esta mãe ao deixar a sua família, os seus amigos, a sua casa em prol de um futuro, que ela pensa ser melhor para a sua filha. Estas pessoas, nossos irmãos, vendem tudo que têm e se for preciso fazem trabalhos "sujos" aos chulos dos donos dos barcospara garantir o bilhete de ida. De ida. E estes filhos-da-mãe aproveitam-se da sua angústia cobrando-lhes tudo e mais alguma coisa. Não há muito pouco tempo li que era típico num "barco" para 10 pessoas irem 20, 30. E depois ... O pior vem aí. O excelentíssimo negociante dá dois remos e diz aos mais fortes da embarcação:

- Aqui têm os remos. Ide. É sempre em frente.

Fazem-se ao mar. E os negociantes, que não são muito piores que os políticos, esfregam as mãozinhas de contentamento por terem uma conta bancária ainda mais recheada.

Para quem consegue chegar à outra margem não vê certamente os planos a correrem como imaginado. Vê-se perante uma série de burocracias - papéis, assinaturas e carimbos. Uma cambada de políticos que os vê como uns impecilhos. Fodasse. A globalização está aonde? A Carta dos Direitos Humanos? Oque é feito dela? Ah já sei. Na falta de melhor, é onde os políticos limpam o rabinho. Dêem-lhes antes folhas de jornais onde corre a tinta que fala sobre a verdadeira realidade da Humanidade. Assim, andam com elas demarcadas nos rabiosques. E vejamos o que acontece.

Autoria e outros dados (tags, etc)


8 de Março

por Mary P., em 08.03.15

Ainda há pouco tempo, numa aula de Deontologia, falávamos da Carta dos Direitos Humanos, do Dia da Mulher, dos Direitos dos Animais. Triste. Triste os motivos que nos levaram a cria-los. Se existem é porque algo tão intrínseco da essência do ser humano não estava os estava a cumprir, a respeitar. Daí a necessidade de institui-los. Olhemos para a sociedade dos dias de hoje. Século XXI. Os nossos atos agem em conformidade?

Homens, valorizem o diamante em bruto que têm ao vosso lado. WHO RUN THE WORLD, GIRLS?

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


ponhamos os olhos nesta alminha #5

por Mary P., em 18.02.15

As saudades que eu já tinha deste momento!!!!

Felizmente a minha lista de pessoas que quero louvar é grande!!! Hoje tinha que vos falar sobre a Hyvon.

"Quem é Hyvon? Nem sei como é que se diz! Será que ela se enganou a escrever?"
Não, não me enganei a escrever e tão pouco sei pronunciar correctamente o nome. No entanto vos digo que a Hyvon é um exemplo. Chutou-me pra canto quando nas minhas tentativas de corridas sucumbo à puta da dor de burro. Dor de burro ao lado da Hyvon é coisa para meninos. E este exemplo pode ser levado para a vida. 

A Hyvon é uma atleta queniana de 29 anos que foi tramada pelo seu próprio corpo quando já faltavam apenas 50 yards para cruzar a meta da Maratona de Austin (EUA).

Acontece que a equipa médica foi logo em seu auxílio e tendo em conta a situação levava já uma cadeira de rodas, que Hyvon prontamente recusou.

Uma imagem vale mais do que mil palavras. Vejam:

 Foi Cynthia Jerop, que com os seus dezanove anos, ganhou a prova. Mas esta ficou marcada pela GARRA, PRAGMATISMO, TENACIDADE, VONTADE, CONVICÇÃO e todos os outros adjectivos que fazem parte da aura dos guerreiros. Dos vencedores.

42km feitos em 3h04m2s o que lhe valeu o 3º lugar.

Um exemplo para todos nós!

Hyvon apenas diz: "Não consigo lembrar-me do que aconteceu. Não vi a meta. Nem sequer me lembro de gatinhar nem nada que se pareça. Nem se quer me lembro de ter caído."

Hyvon, mostraste a todos nós que se a mente estiver fortalecida, determinada e concentrada nem o céu vale como limite!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Skinny Lover

por Mary P., em 30.06.14

Em jeito de contraponto ao Diário de uma Obesa, que está cada vez mais obesa, aqui vai uma canção dedicada a uma amor assim para o lingrinhas: Skinny Love de Bon Iver, el mastermusician!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

"Who will love you?

Who will fight?

Who will fall far behind?"

Autoria e outros dados (tags, etc)


cada macaco no seu galho

por Mary P., em 17.06.14

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

E é assim de uma maneira muito soft que digo CADA MACACO NO SEU GALHO. Não aguento, não tenho paciência, não tolero pessoas que não têm noção do seu chão e do seu tecto. E então aquelas que recorrem ao factor idade para justificar o seu 'emproamento' tiram-me mesmo do sério. E são nestes momentos que tenho que respirar quinhentas e vinte e sete mil vezes antes de abrir a boca. Tenho que apelar ainda ao meu bom senso e à minha inteligência. Assertividade - palavra-chave neste momento! Defendo uma sociedade estratificada. Talvez seja este meu lado de direita a falar mais alto. Que seja. Acaba por existir sempre líderes - sejam eles formais ou informais. E nós, pessoas, temos necessidade de comandar e de ser comandados. Acontece que há pessoas que se destacam, que têm características inatas para liderar. E a equipa tem que o respeitar. Aliás, tem de haver respeito mútuo. Só assim é que o trabalho será bem feito e os frutos serão bons. É fácil? É assim tão linear? Não. Como tudo na vida acho que os bons hábitos se adquirem desde pequenos. Ponhamos os filhinhos e os sobrinhos e os afilhados e os amiguinhos nos escuteiros!

Sou soldado-raso. Mas trabalho para ser o melhor soldado-raso de sempre! Com este texto não quero de todo reclamar um lugar na liderança (para quem lê atentamente o que a alma da Mary escreve). Quero sim, gostava muito que as pessoas se tocassem e se se pusessem no seu lugar. Tudo seria mais fácil!

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


De bestial a besta « »

por Mary P., em 16.06.14

Incrível, incrível, incrível a rapidez com que passamos as pessoas do nosso mundo de bestial a besta e vice-versa. Tão depressa são as maiores. Estão guardadas num pedestal. Como no minuto a seguir o pedestal cai, desfaz-se em pedaços e temos em mãos o maior imbecil. Ou então, muito comum também, aquele tipo que não passava de uma besta se calhar até é humano e merece a nossa consideração.

 

Está correcto? Não me parece. À partida e aos meus olhos todos merecem reconsideração - tanto para o bem como para o mal. Daí tentar contrariar esta terrível mania que tenho de criar expectativas para os intervenientes do meu mundo. Porque assim a probabilidade de me desiludir é menor, enquanto que a probabilidade de me surpreender é inversamente proporcional. Eu que não vou muito à bola com a Matemática encaro as relações um bocadinho como as escalas que têm números positivos e negativos e o zero, estão a ver? Sendo que nada, quase nada, é estanque.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Viagem

por Mary P., em 16.06.14

É o vento que me leva. 

O vento lusitano. 
É este sopro humano 
Universal 
Que enfuna a inquietação de Portugal. 
É esta fúria de loucura mansa 
Que tudo alcança 
Sem alcançar. 
Que vai de céu em céu, 
De mar em mar, 
Até nunca chegar. 
E esta tentação de me encontrar 
Mais rico de amargura 
Nas pausas da ventura 
De me procurar... 

Viagem de Miguel Torga, in 'Diário XII'

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


filtro. quem tem?

por Mary P., em 30.05.14

Alguém me sabe dizer onde é que arranjo um filtro verbal por favor? É que isto de ter o coração imediatamente a seguir à boca nem sempre dá resultado. 

Não quero deixar de falar. Quero é conseguir dizer o que me vai na alma de maneira calma e assertiva. 

Assertividade é a palavra-chave. Acontece é que a linha que separa a assertividade da agressividade é muito ténue. Mas não estou a conseguir manter-me assertiva as vinte e quatro horas diárias e isto não está a dar com nada...

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mas Sê

por Mary P., em 22.05.14

Autoria e outros dados (tags, etc)


discurso

por Mary P., em 19.05.14

Já em jeito de 'Rescaldo da Noite de Globos' a minha veia de navegadora de maionese fala mais alto e leva-me a pensar:"Que dirias tu, Mary, se ganhasses mais um bibelô (confere, fui ao dicionário, já 'aportuguesamos' a palavra)?" 

 

Discurso de Russell Crowe quando ganhou o Óscar de melhor actor pelo Gladiador
Mas que senhor! Continuo na senda de que quando se quer tudo se consegue. E o menino que sonhou. O homem que conquistou. "It's possible!"

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Posts mais comentados


Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D